Frases De Fernando Pessoa Sobre Felicidade

Quem nunca ouviu falar de Fernando Pessoa? Ou então de Shakespeare, Carlos Drummond de Andrade e outros nomes da literatura mundial. Ler sempre foi algo que cativou muita gente. Atualmente temos perdido um pouco deste hábito pela falta de tempo com a correria do cotidiano. Por outro lado outras maneiras mais práticas de se adquirir um livro chegaram ao mercado com a tecnologia.

Durante muitos anos os livros eram somente físicos, alguns processos evoluíram com o tempo como o encadernamento. Juntamente com os livros, a literatura se tornou vasta pelo mundo todo. Ultrapassando fronteiras e idiomas, todas as barreiras foram sendo vencidas pelos autores guerreiros.

Muitos sofreram repressão, lançaram tendência em sua época e com isso são aclamados até os dias atuais como os citados no começo do texto. É engraçado como até mesmo que não gosta de ler já ouviu falar de algum deles.

Para aqueles que ainda não leram, muitos desses livros acabam sendo obrigatório no ensino médio e isso tira a magia que eles possuem. Há todo o tipo de história, seja aquelas reais ou então fictícias, o que importa é o tamanho da criatividade que eles possuem. Aqueles que produzem poesia ainda, precisam se concentrar em muitas regras que são impostas.

Literatura

Aquela matéria chata que temos no ensino médio, mas que nos traz um conhecimento enorme sobre diversas épocas, além de lindas histórias, há muita relação com períodos políticos, econômicos e sociais de um local.

No brasil a literatura começa contar a partir da chegada dos portugueses, ainda bastante voltado para descrição de vários momentos, descobertas e passos que eles davam, esse período ficou conhecido como Quinhentismo. Para andar com as próprias pernas, a literatura brasileira demorou um pouco. No século XVII ainda influenciada pelas vivências europeias, o barroco predominou fortemente devido ao conflitos com a Igreja Católica, assim a maioria das obras tinham um teor melancólico e de angústia.

No século seguinte o Arcadismo, vinha com uma pegada mais antiga, trazendo característica da antiguidade Clássica, com bastante razão e objetivismo nas obras. Isso era total influência da classe burguesa que estava no poder na época.

O romantismo foi um dos períodos mais importante para literatura portuguesa, marcando a chegada da família real no país e com alguns anos depois a independência, gerando cada vez mais um sentimento de Brasil em cada uma das pessoas. As obras ficaram carregadas de nacionalismo, espírito sonhador e idealização da mulher.

Na segunda metade do século XIX, os brasileiros deixaram de ser totalmente sonhadores, e começaram realmente olhar para a realidade do povo. Com isso o romantismo declinou até que o Realismo se mantivesse como principal estilo literário a partir dali. Os autores do período tentavam trazer uma visão mais realista da vida, com linguagem mais simples, conflitos sociais, objetivismo, mostrando totalmente o lado do ser humano antes escondido.

Literatura

Literatura

Não podemos deixar de citar Machado de Assis como maior nome dessa fase, seus livros são consagrados até os dias atuais como os títulos: Dom Casmurro, Quincas Borba e Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Durante o final do século XIX e o começo do XX, algumas vertentes mais clássicas voltaram a ser produzidas, totalmente formais, com linguagem rebuscadas e com temas muito pouco sociais, entrando em conflito com o começo do modernismo, foram denominadas de Parnasianismo e Simbolismo.

O modernismo chegou vagarosamente, trazendo alguns aspectos mais tradicionais e se estabelecendo de acordo com que os autores achavam melhor. Antes da Semana de Arte Moderna em 1922, foi denominada de pré-modernismo por conta das mudanças graduais que não só a literatura, mas também a arte estava sofrendo.

Nesse período houve muitos autores muito conhecidos por nós como Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Manuel bandeira, Jorge Amado e dezenas de outros.

Um nome que se destacou durante o Modernismo foi Fernando Pessoa, que apesar de não ser brasileiro, escreveu em língua portuguesa. Mas sem contar que seus poemas hoje em dia rodam o mundo todo, traduzido em diversas línguas.

Fernando Pessoa

Foto Ilustrativa de Fernando Pessoa em Preto e Branco

Foto Ilustrativa de Fernando Pessoa em Preto e Branco

Além de poeta, Fernando era um inventor, empresário, publicitário, Filósofo e dramaturgo. Fernando Antônio Nogueira Pessoa nasceu em 1888 na cidade de Lisboa, vivendo anos de sua vida na África do Sul. Por lá aprender o inglês em uma escola católica, por isso a maioria de suas obras são nessa língua, somente adulto que voltou para portugal e se dedicou a poemas em português.

Fui para a África do Sul pois sua mãe se casou novamente após o seu pai morrer e seu padrasto era Comandante e necessitam ser transferido. Em 1905, Fernando volta sozinho a capital Portuguesa e vive com sua avó, no período de adaptação começou uma Faculdade de Letras, porém parou ainda no primeiro ano, depois disso começou um trabalho de tradutor. Logo depois se torna ensaísta e crítico literário até participar da revista literária chamada “Orpheu” no ano de 1915.

Orpheu Revista Literária

Orpheu Revista Literária

Esse foi um marco muito importante, pois Fernando lançou o movimento modernista gerando muita polêmica por se tratar de algo novo e desconhecido. Durante esse movimento surgiram alguns dos heterónimos mais utilizados por ele: Álvaro de Campos. Com o tempo, publicava mais e mais poemas, criando outros nomes como Ricardo Reis e Alberto Caeiro.

O maior interessante era que esses heterônimos tinham exatamente um vida criada por Fernando, totalmente representada em seus poemas, como se fosse realmente um pessoa.

Morreu aos 45 anos em Lisboa, no dia 30 de novembro de 1935 de uma pancreatite aguda.

Todos seus poemas sempre foram muito reflexivos, mas também tratando bastante do cotidiano, todo o conteúdo é muito marcante e por isso até hoje em dia muita gente costuma usar frases de seus poemas.

Felicidade Com Fernando Pessoa

Sabemos que a felicidade é um estado de espírito que precisa ser conquistado diariamente, sabemos que é bem complicado quando não estamos motivados e por isso há muitas maneiras de ira atrás de coisas diferentes que possa te tocar. A leitura é uma delas, mas para aqueles que não gosta de ler grandes livros é indicado pelo menos algumas frases. Alguns poemas de Fernando Pessoa tratavam sobre isso:

“Todo o homem de ação é essencialmente animado e otimista porque quem não sente é feliz.”

“Feliz quem não exige da vida mais do que ela espontaneamente lhe dá, guiando-se pelo instinto dos gatos, que buscam o sol quando há sol.”

“Por que é que, pra ser feliz,

É preciso não sabê-lo?”

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Autores Famosos

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.