Fazer Aniversario Drummond

Considerado um dos maiores escritores do Brasil, você certamente conhece Carlos Drummond de Andrade e com certeza leu algo de autoria dele durante sua vida. Nascido em Itabira, cidade do estado de Minas Gerais, no dia trinta e um de outubro de mil novecentos e dois, fez seu nome no país, e também fora dele, fez seu nome como poeta, contista e cronista brasileiro, sendo considerado o mais influente poeta brasileiro do século XX. Morreu no Rio de Janeiro, no dia dezessete de agosto de mil novecentos e oitenta e sete.

Estudou e formou-se em farmácia pela Universidade Federal de Minas Gerais, mas dedicou-se a sua vida como escritor. Fundou junto de outros amigos “A Revista”, que tinha como intuito divulgar o movimento modernismo no Brasil. Ele acreditava que paras se escrever poema, não era necessário um metro fixo para a escrita das poesias, e apostava no verso livre.

Lançou sua primeira obra no ano de mil novecentos e trinta, intitulada “Alguma Poesia”, nesse mesmo ano declamou um poema dessa obra na na conferência “Poesia Moderníssima do Brasil”. Ele seguiu sua carreira como escritor lançando ao longo de sua vida trinta e quatro obras literárias de poesia ou crônica, nove obras de antologia poética, quatro obras voltadas para o público infantil, e também dezenove obras em prosa.

Ele também foi funcionário público ao longo de sua vida, em combinação com a carreira de escritor. Em mil novecentos e quarenta e cinco foi lançado como candidato a deputado federal pelo Partido Comunista (época em que o comunismo era uma atividade legal no país), porém depois foi mostrado que ele não aceitou a ser lançado como candidato, e o partido usou o seu nome contra sua vontade.

Mas o autor tinha uma forte ligação com a politica no país, o que pode ser notado em algumas de suas obras, ele se dedicava a lutar contra a ditadura no país. Foi chefe de gabinete do ministro da Educação e Saúde, e trabalhou no tribuna popular, jornal comunista a época. Alguns anos mais tarde o partido comunista foi novamente proibido de existir, dessa forma aqueles que ainda estavam nele, começaram a tentar fazer algumas ligações exteriores, uma delas foi com a Associação Brasileira de Escritores. Drummond se opôs a essa união, já que acreditava que a associação deveria ser apartidária.

Nos escritos de Drummond podemos ver temas fortes, algumas lembranças de sua terra, algumas voltada para a politica e a guerra fria. Mas encontram-se também poemas alegres, de amor, felicidade, infantis e também esses abaixo, sobre aniversário, que podem ser usados para enviar para aquela pessoa especial em sua vida.

Poema de Aniversário

Poema de Aniversário

Poema de Aniversário

Procurei no dicionário,
Com paciência e cuidado,
O real significado
Da palavra aniversário.
Aquele livro pesado,
Mestre dos visionários,
“Pai dos burros” batizado,
Pareceu-me sectário,
Ao responder meu chamado.
Deveras decepcionado,
Joguei o meu dicionário
Na estante, empoeirado,
Para pregar, solitário,
O meu significado
Da palavra aniversário.
Diz assim, o verbete lendário,
Ontem, por mim criado:
“Aniversário: Espécie de relicário,
Muitíssimo bem guardado
Nas folhas do meu diário,
Dos versos que eu escrevi,
Com todo amor, e não li,
Durante o ano passado.” (Carlos Drummond de Andrade)

“Para você, desejo o sonho realizado. O amor esperado. A esperança renovada. Para você, desejo todas as cores desta vida. Todas as alegrias que puder sorrir. Todas as músicas que puder emocionar. Desejo que os amigos sejam mais cúmplices, que sua família esteja mais unida, que sua vida seja mais bem vivida. Gostaria de lhe desejar tantas coisas. Mas nada seria suficiente… Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos. Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto, ao rumo da sua felicidade.” (Carlos Drummond de Andrade)

Ausência

Poema de Ausência

Poema de Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim. (Carlos Drummond de Andrade)

Desejos 

Poema de Desejos 

Poema de Desejos

Desejo a você
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu. (Carlos Drummond de Andrade)

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Aniversário

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.