Poetas do Amor

Se pensarmos em poemas e poetas, lembramos automaticamente daqueles que falam de amor. Sabemos que a poesia vai muito mais além das barreiras românticas, mas tivemos alguns poetas que se dedicaram, com muita adoração e competência, à poesia romântica.

Arte de Amar

Arte de Amar

Camões é um exemplo de um poeta do Amor, um poeta que compôs o amor na sua forma singular e profunda, plural e intensa: “Amor é fogo que arde sem se ver, É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer!”. Camões falava de um Amor muito sofrido.

Muito conhecido também pelas suas obras de amor é Vinicius de Morais, que escreveu sobre o sentimento com tanta realidade. Entretanto, falar em Poetas do Amor é falar principalmente de Fernando Pessoa, William Shakespeare e Carlos Drummond de Andrade, além dos dois citados anteriormente, que têm uma vasta lista de poemas românticos em sua obra.

Confira, a seguir, alguns poemas destes verdadeiros artistas do amor.

Poemas de William Shakespeare Sobre Amor

Sobre o Autor: William Shakespeare foi um poeta inglês considerado como o maior e mais influente escritor do idioma de seu país. Sua obra é composta por 38 peças de teatro e 154 sonetos, além de diversos outros poemas. Suas peças são recordistas em todo o mundo, nunca outro dramaturgo teve sua obra produzida e traduzida em tantos países quanto ele.

William Shakespeare

William Shakespeare

SONETO CV

Não chame o meu amor de Idolatria
Nem de Ídolo realce a quem eu amo,
Pois todo o meu cantar a um só se alia,
E de uma só maneira eu o proclamo.
É hoje e sempre o meu amor galante,
Inalterável, em grande excelência;
Por isso a minha rima é tão constante
A uma só coisa e exclui a diferença.
‘Beleza, Bem, Verdade’, eis o que exprimo;
‘Beleza, Bem, Verdade’, todo o acento;
E em tal mudança está tudo o que primo,
Em um, três temas, de amplo movimento.
‘Beleza, Bem, Verdade’ sós, outrora;
Num mesmo ser vivem juntos agora.

Apenas Passou...

Apenas Passou…

Não Tem Olhos Solares

Não tem olhos solares, meu amor;
Mais rubro que seus lábios é o coral;
Se neve é branca, é escura a sua cor;
E a cabeleira ao arame é igual.

Vermelha e branca é a rosa adamascada
Mas tal rosa sua face não iguala;
E há fragrância bem mais delicada
Do que a do ar que minha amante exala.

Muito gosto de ouvi-la, mesmo quando
Na música há melhor diapasão;
Nunca vi uma deusa deslizando,

Mas minha amada caminha no chão.
Mas juro que esse amor me é mais caro
Que qualquer outra à qual eu a comparo.

Soneto

Soneto

Poemas de Camões Sobre Amor

Sobre o Autor: Luíz Vaz de Camões foi um poeta português e é considerado um dos autores mais influentes da língua portuguesa. Não há informações concretas sobre sua vida, pois não há documentos que comprovam nenhuma das informações propagadas.

Camões

Camões

Amor

Amor, que o gesto humano n’alma escreve,
Vivas faíscas me mostrou um dia,
Donde um puro cristal se derretia
Por entre vivas rosas e alva neve.

A vista, que em si mesma não se atreve,
Por se certificar do que ali via,
Foi convertida em fonte, que fazia
A dor ao sofrimento doce e leve.

Jura Amor que brandura de vontade
Causa o primeiro efeito; o pensamento
Endoudece, se cuida que é verdade.

Olhai como Amor gera, num momento
De lágrimas de honesta piedade,
Lágrimas de imortal contentamento.

Ah o amor...

Ah o amor…

Verdes São os Campos

Verdes são os campos,

De cor de limão:

Assim são os olhos

Do meu coração.

Campo, que te estendes

Com verdura bela;

Ovelhas, que nela

Vosso pasto tendes,

De ervas vos mantendes

Que traz o Verão,

E eu das lembranças

Do meu coração.

Gados que pasceis

Com contentamento,

Vosso mantimento

Não no entendereis;

Isso que comeis

Não são ervas, não:

São graças dos olhos

Do meu coração.

Corações Humanos

Corações Humanos

Poemas de Vinícius de Moraes Sobre Amor

Sobre o Autor: Vinícius de Moraes foi um poeta brasileiro que nasceu no Rio de Janeiro. Recebeu o apelido de Poetinha, que lhe foi dado por ninguém menos que o músico Tom Jobim. A maioria de suas poesias trata do amor, afinal o sentimento esteve bastante presente em sua vida, que se casou nove vezes.

Vinícius de Moraes

Vinícius de Moraes

Pela Luz dos Olhos Teus

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só p’ra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.

Soneto de Fidelidade

Soneto de Fidelidade

Soneto de Carnaval

Distante o meu amor, se me afigura

O amor como um patético tormento

Pensar nele é morrer de desventura

Não pensar é matar meu pensamento.

Seu mais doce desejo se amargura

Todo o instante perdido é um sofrimento

Cada beijo lembrado uma tortura

Um ciúme do próprio ciumento.

E vivemos partindo, ela de mim

E eu dela, enquanto breves vão-se os anos

Para a grande partida que há no fim

De toda a vida e todo o amor humanos:

Mas tranqüila ela sabe, e eu sei tranquilo

Que se um fica o outro parte a redimi-lo.

Arte do Encontro

Arte do Encontro

Poemas de Fernando Pessoa Sobre Amor

Sobre o Autor: Nascido em Portugal, o poeta é conhecido por ter criado personagens heterônimos, cada um tem sua própria obra e características específicas. Um trabalho que jamais foi feito tão bem por qualquer outro autor.

Fernando Pessoa

Fernando Pessoa

O Amor

O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p’ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente…
Cala: parece esquecer…

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P’ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar…

Canção

Canção

Todas as Cartas de Amor…

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Posts Relacionados

Aproveite para conhecer mais sobre grandes poetas brasileiros e suas obras. Além disso, não podemos nos esquecer dos poetas portugueses famosos, que têm bastante influência também na literatura brasileira. Conhecer os poetas românticos em versos é uma ótima maneira de adquirir cultura.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Frases

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.