O Tipo Certo de Pessoa Errada

Lendo este título “o tipo certo de uma pessoa errada”, me causou, deveras, um certo espanto: mas como saber o tipo “certo”, da pessoa “errada”? É no mínimo intrigante acertar na pessoa errada. Existe a pessoa certa? E a pessoa errada? Como conseguimos defini-las ou encontrá-las?

Ah! Quão relativo são essas respostas… Quão sabidos achamos que somos para julgar as pessoas como certa ou errada sem ao menos nos olhar no espelho e nos perguntar: e eu, sou o tipo certo da pessoa certa ou tipo certo da pessoa errada?

Mas o que Define uma Pessoa Como Certa ou Errada Para Você?

Na vida, existe sempre uma dicotomia entre o que é certo e o que é errado, o que é bom e o que é ruim. Cada um de nós tem as suas próprias noções de bom e ruim, de certo e errado que perpassam, muitas vezes, as esferas mentais e sociais. Cada um de nós é um ser único, carregado de pensamentos, vivências e expectativas que, pode ter certeza, será sempre diferente daquilo que pensa e almeja a sua mãe, o seu pai, os seus irmãos e os seus melhores amigos.

Imagem de Amostra do You Tube

O que vai definir a sua expectativa qual a pessoa que você busca para a sua vida, se ela é a pessoa certa ou a pessoa errada, é justamente a visão que você tem do mundo, as vivências que você já teve, as decepções que já sofreu, o meio que você foi educado, os livros que leu, os filmes que assistiu, as convicções que tem. É um tema tão amplo para ser falado, mas que não é técnico e que não há um manual que defina se a pessoa é certa ou errada. Não livro, não receita mágica, não há uma simpatia ou reza milagrosa que seja capaz definir o certo do errado, porque o certo e o errado ou não existem ou estão na mesma proporção.

Tem uma crônica de Luiz Fernando Veríssimo chamado “A Pessoa Errada”, e ele fala assim: “Pensando bem, em tudo o que a gente vê e vivencia, e ouve e pensa, não existe uma pessoa certa pra gente. Existe uma pessoa, que se você for parar para pensar, é, na verdade, a pessoa errada, porque a pessoa certa faz tudo certinho, chega na hora certa, fala as coisas certas e faz as coisas certas. Mas nem sempre a gente está precisando das coisas certas. Aí é a hora de procurar a pessoa errada. A pessoa errada te faz perder a cabeça, fazer loucuras, perder a hora… Morrer de amor. A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar que é par na hora que vocês se encontrarem, a entrega ser muito mais verdadeira. A pessoa errada é, na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa…”.

A crônica não para por aí, mas eu só quis evidência para vocês que, achar a pessoa certa ou errada é muito relativo. Identificar se tipo de pessoa é o errado para você, é mais relativo ainda, pois não depende apenas de análises estereotipadas que fazemos, baseados, muitas vezes, em pensamentos, atitudes e julgamentos permeados de preconceito.

Ouvindo o Nosso Coração…

Muitas vezes, quando conhecemos alguém e estamos naquele momento explosivo, efusivos e totalmente apaixonados, vem sempre um amigo, um parente, até mesmo um desconhecido, e nos fala: “cuidado, você pode sofrer”, ou então: “essa pessoa não é para você”. Mas gente, o que define esse pré-julgamento, antes mesmo de conhecer uma pessoa e começamos a julgar o seu caráter, as suas atitudes, as sua intenções?

Sem dúvida, estes são outros tantos modelos comportamento inadequado e invasivo, que se mete na relação alheia, sem embasamento algum, somente para fazer comentários desnecessários e deixar a pessoa com uma pulga atrás da orelha.

O que vai definir se a pessoa é certa ou errada é somente você. É a vivência, o tempo que passam juntos, as conversas que vocês têm, se as intenções, planos e objetivos que traçam estão em comum acordo ou não. Não dá para julgar a pessoa como certa ou errada, nem mesmo baseando-se em experiências anteriores que a pessoa já teve. Nós estamos em constante metamorfose, nós mudamos o tempo todo e também nós já fomos julgados como a pessoa inadequada para outra pessoa.

Portanto, o mais fácil a fazer é seguir o coração. Fazer o que se tem vontade, o que dá prazer e principalmente se as duas pessoas envolvidas nesse processo partilham da mesma intenção, da mesma ideia e do mesmo desejo. Como diz a crônica de Veríssimo, muitas vezes, o que nós precisamos é da pessoa errada, pois é a pessoa errada que vai nos fazer morrer de amor!

O Feitiço e o Feiticeiro

Sabe uma postura que supervale a pena nós adotarmos? É a mania de nos autoavaliar, com postura, com dignidade, sem pena nem dó e reconhecer que também somos seres humanos, falíveis, errantes e em constate metamorfose, também.

Antes de nos vangloriamos como merecedores dos seres mais bem intencionados, coesos, corretos e perfeitos deste mundo, precisamos nos olhar no espelho, dentro dos nossos olhos e nos questionar: E eu, sou a pessoa certa ou a pessoa errada?

Quando agimos de maneira empática, nos colocando no lugar do outro, sendo capazes de perceber os nossos erros e fraquezas e procuramos, dentro de atitudes humildes, mudar e melhorar a nossa postura, as coisas boas vão acontecendo naturalmente em nossas vidas. Agindo desta maneira, atraímos para nós as pessoas que partilham do mesmo pensamento ideal: o bem estar pessoa e coletivo.

Então meus caros, para acharmos o tipo certo da pessoa errada ou da pessoa certa, bastar olhar para nós mesmos, olhar para dentro de nós, tendo a humildade e sabedoria de nos identificar com tal e transgredir isso para as pessoas que estão a nossa volta. E lembremo-nos do seguinte: o certo e o errado são relativos e é a sua vivencia de mundo, as suas atitudes e experiências que dão definir o que você é para o mundo e o que o mundo é para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>