Saudade – Caio Fernando Abreu

O Escritor e Poeta Ilustra o Sentimento Em Suas Histórias

“A Saudade é uma coisa azul e amarga, com carne por fora e espinho por dentro”. A frase de Caio Fernando Abreu é uma das melhores descrições que poderia se fazer deste sentimento tão marcante e tão difícil de explicar. Em “O Inventário do Irremediável”, o autor ilustra estaa urgência dolorosa de forma magistral. Veja abaixo um trecho de seu belo texto.

Saudade – Caio Fernando Abreu

Saudade – Caio Fernando Abreu

“(…) e a saudade que eu tinha de gente fazia com que eu rolasse horas na areia do sol abrasador, abraçando meu próprio corpo, inventando um prazer que eu precisava para me sentir vivendo talvez, porque eu não tinha medos nem preocupações nem mágoas nem nada concreto nem expectativas, as minhas células amorteciam, eu sentia que ia acabar virando uma palmeira, os meus pés agora parecem raízes, mas ainda tenho mãos, então eu rolava na areia quente enquanto meus dentes faziam marcas fundas roxas nos meus braços, nas minhas pernas e de repente todas as minhas células explodiam em vida, exatamente isso, em vida, eu tinha dentro de mim todo aquele sol todo aquele mar tudo aquilo que eu conhecera antes, que conheceria depois, se não estivesse aqui. Eu ficava amplo, na areia, abraçado a mim mesmo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>